Digressões e ou confabulações estéticas,
filosóficas, teológicas e simbólicas
sobre o momento,
sobre o instante
e ou
sobre o presente.

Como explicar o agora - espaço ínfimo entre e passado e o futuro. O agora nao se prolonga, quando se percebe, ou se supoe estar no agora, ele ja nao mais existe, o presente ja se tornou passado. A evidencia está exatamente nesta verdade que movimenta o instante e que faz dele em questao de milésimos de segundos em passado.

É assim que entendo o presente, ja acabou, o inicio do texto ja é passado.
 
  Renata Normanha
ranormanha@cultura.com.br

Origem do modernismo

na globalização?

Nathalia Aires Lustosa
  nathalia-aires@hotmail.com